Periódico galego de informaçom crítica

Dous presos independentistas fôrom trasladados a prisons na Galiza

por
Teto R. Fialhega num vis a vis em 2015

Roberto Rodríguez ‘Teto’ e Hadriám Mosquera ‘Senlheiro’ ve­nhem de ser des­lo­ca­dos neste mês de março aos cár­ce­res de Teixeiro e A Lama res­pe­ti­va­mente.

Neste mês de março a or­ga­ni­za­çom Que Voltem para a Casa, pla­ta­forma de fa­mi­li­a­res e ami­za­des de pre­sos in­de­pen­den­tis­tas, anun­ci­ava o tras­lado ao cen­tro pe­ni­ten­ciá­rio de Teixeiro de Roberto Rodríguez Fialhega ‘Teto’, pro­ce­dente da pri­som de Duenhas, em Palência. Chegava as­sim o pri­meiro dos fru­tos da in­tensa ati­vi­dade po­lí­tica e de de­nún­cia em que a or­ga­ni­za­çom es­tivo imersa nos pas­sa­dos me­ses para con­se­guir o fim da dis­per­som pe­ni­ten­ciá­ria e na qual con­se­guí­rom im­pli­car di­ver­sos agen­tes po­lí­ti­cos.
Cristina Rodríguez, porta-voz da pla­ta­forma, ana­lisa de forma po­si­tiva o des­lo­ca­mento para a Galiza deste preso, se bem in­dica que te­ria que ter acon­te­cido há muito tempo, pois “es­ta­mos a fa­lar de que se cum­pram os di­rei­tos hu­ma­nos e a le­ga­li­dade”.
Porém, a che­gada de ‘Teto’ a Teixeiro foi tam­bém um exem­plo de como es­tas ins­ti­tui­çons pro­cu­ram o sub­me­ti­mento e o des­gaste da po­pu­la­çom presa. Ao ne­gar-se ‘Teto’ a par­ti­lhar cela, rei­vin­di­cando o seu di­reito a con­tar com umha in­di­vi­dual, foi en­cer­rado em iso­la­mento e san­ci­o­nado a mais cinco dias neste re­gime numha cela sem aque­ci­mento e ape­nas com umha manta, se­gundo de­nun­ciá­rom de Que Voltem. O tras­lado de ‘Teto’ con­tou tam­bém com a sua pro­gres­som de pri­meiro a se­gundo grau, o que im­plica aban­do­nar um re­gime de vida quo­ti­di­ana par­ti­cu­lar­mente pu­ni­tivo den­tro da pri­som. Preso desde de­zem­bro de 2011, este in­de­pen­den­tista pas­sou por vá­rios cár­ce­res es­pa­nhóis. Durante a sua es­ta­dia no cár­cere de Villanubla ‑em Valhadolid- pas­sou por um pe­ríodo de seis me­ses em iso­la­mento to­tal que re­ma­tou após umha forte cam­pa­nha so­li­dá­ria.

Neste mês de março tam­bém vem de se re­a­li­zar o tras­lado de Hadrián Mosquera Paços ‘Senlheiro’ à pri­som da Lama, onde se en­con­tra em se­gundo grau, pro­ce­dente do cár­cere de Duenhas, logo de per­cor­rer vá­rios cár­ce­res es­pa­nhóis desde o seu in­gresso em pri­som em ja­neiro de 2013.
Fica ainda pen­dente de re­so­lu­çom a so­li­ci­tude de tras­lado a cár­ce­res ga­le­gos do in­de­pen­den­tista Eduardo Vigo Domínguez, preso desde de­zem­bro de 2011 e atu­al­mente con­fi­nado no cen­tro pe­ni­ten­ciá­rio de Ocanha, em Toledo e a mais de 650 qui­ló­me­tros da sua casa, em pri­meiro grau. Aliás, tanto ‘Teto’ como Eduardo Vigo nom re­ma­ta­riam a sua con­dena até agosto de 2025.

Fica ainda pen­dente de re­so­lu­çom a so­li­ci­tude de tras­lado a cár­ce­res ga­le­gos do in­de­pen­den­tista Eduardo Vigo Domínguez, preso desde de­zem­bro de 2011 e atu­al­mente con­fi­nado no cen­tro pe­ni­ten­ciá­rio de Ocanha, em Toledo.

Por ou­tra banda, o in­de­pen­den­tista Raúl Agulheiro Cartoi en­con­tra-se em se­gundo grau no cár­cece de Villabona. Agulheiro foi de­tido em ou­tu­bro de 2014. Em Villabona tam­bém está preso Carlos Calvo Varela. Recentemente, Calvo Varela con­se­guiu umha sen­tença fa­vo­rá­vel da se­çom pri­meira da Audiência Nacional re­co­nhe­cendo o seu di­reito a per­mis­sons de saída, con­tra a de­ci­som da Junta de Tratamento da pri­som. Calvo Varela foi apre­sado em se­tem­bro de 2012 e an­tes do seu des­lo­ca­mento a Villabona pas­sou vá­rios anos na pri­som de Topas ‑em Salamanca-.

Publicidade

O último de Acontece

Ir Acima